Embaixada da Alemanha doa R$ 320 mil para projeto no Sol Nascente

Quantia será destinada à compra de 200 toneladas de alimentos para a população local. Em 2020, mesmo valor foi doado à Associação Despertar Sabedoria

Embaixada da Alemanha doa R$ 320 mil para projeto no Sol Nascente

Mariane Rodrigues (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press) (crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

A Embaixada da Alemanha, em cooperação com a Associação Despertar Sabedoria, doou mais de R$ 320 mil para a compra de quase 200 toneladas de alimentos para a população do Sol Nascente. A entrega foi feita, ontem, pelo embaixador da Alemanha Heiko Thoms, no condomínio Gênesis, na região administrativa. A representação alemã em Brasília está realizando diversas ações sociais, desde 2020, em prol da luta contra a fome durante a pandemia. “Nossa primeira contribuição foi entregue no final do ano passado. Com o aumento da fome e da miséria nesses últimos meses, decidimos prorrogar a ajuda, e, hoje, entregamos mais de R$ 320 mil para a comunidade carente do Sol Nascente“, ressalta o embaixador. Thoms revela que os projetos de ajuda a pessoas em situação de vulnerabilidade serão permanentes, e que o próximo passo é investir na educação da região. “Queremos continuar as doações de forma mais sustentável e priorizar a educação para as crianças. Nós queremos ajudar com projetos em escolas, porque eu percebi que aqui no Sol Nascente não há escolas suficientes para as crianças da região. Por isso, para mim, educação é a questão mais importante para tratarmos nos próximos meses”, destaca o diplomata. Paloma Souza, 27 anos, participa do projeto social da Associação Despertar Sabedoria, o qual uma das idealizadoras foi sua mãe, Margarida Minervina. A ação existe há 21 anos, e, com o início da pandemia, a equipe focou em dar mais assistência às famílias locais. “Essa é a segunda vez que a Embaixada da Alemanha nos visita e nos ajuda com o mesmo recurso. Dessa vez, conseguimos comprar quase 200 toneladas de alimentos”, diz. Paloma conta que a procura por cestas básicas na região aumentou consideravelmente. “Aqui não há trabalho, e, sim, desemprego. Várias famílias chegam à nossa porta em busca de alimento”, comenta. Para a moradora da região e voluntária da associação Berenice José Mourão, 51, o projeto ajudou muitas famílias locais em tempos de dificuldades. “Eu estou desempregada, mas a associação me dá muita força, além de ajudar várias outras famílias daqui. Então, no que eu puder ajudar eu também estarei disponível para a associação”, comenta. A jovem Marina Oliveira Brito, 18, é monitora voluntária do projeto Despertar. Emocionada, ela conta como o apoio da Embaixada e da associação mudaram a sua vida. “Foi maravilhoso essas cestas básicas inesperadas. Meu pai ficou desempregado na pandemia e minha mãe fazia bicos. Então, ficamos muito apreensivos e sem estrutura alguma para sobreviver na pandemia. Essa ajuda veio na hora certa, tanto para mim quanto para muitos aqui da região”, detalha Marina, que mora com mais cinco pessoas. Para ela, o projeto veio como forma de esperança para muitos moradores do Sol Nascente. Além de Brasília Os projetos sociais realizados pela representação alemã vão além da capital federal, conta o embaixador. “Desde o ano passado, a Alemanha está realizando diversos projetos de ajuda humanitária, não somente aqui no Distrito Federal, como em todo o Brasil e em diversos países. Em 2020, destinamos cerca de 653 milhões de euros na luta contra a fome em diversos países. Também aqui no DF iniciamos, no ano passado, um projeto de cooperação com a Casa da Esperança de Ceilândia. Mais de R$ 320 mil foram distribuídos para a compra de cestas básicas, kits de higiene e cursos de costura para a fabricação de máscaras de proteção. A embaixada tem projetos sociais em Manaus e, no começo da pandemia, visitou uma aldeia de índios em Rondônia. Joachim Schemel, assessor de imprensa da Embaixada da Alemanha, conta que a pandemia foi um gatilho para retomarem os projetos sociais que ficaram parados. Em 2020, doaram para a comunidade kits de higienização para a proteção contra o coronavírus. “A gente percebeu que há muitas pessoas carentes, e o primeiro passo, no DF, foi a doação de R$ 320 mil no ano passado para a mesma associação (Despertar Sabedoria), dando a possibilidade da região produzir máscaras e comprar álcool em gel para distribuir para a população local”, conta Schemel. SAIBA MAIS