Na Bahia, Bolsonaro diz que poderá jogar "fora das quatro linhas da Constituição"

Presidente chegou ao estado para visitar obras e participar da assinatura de concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol)

Na Bahia, Bolsonaro diz que poderá jogar "fora das quatro linhas da Constituição"

Cristiane Noberto postado em 03/09/2021 12:40 (crédito: Alan Santos/PR) (crédito: Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou a participação nos atos de 7 de Setembro e destacou que não precisa sair das “quatro linhas da Constituição”, porém se alguém o fizer, “vamos mostrar que nós podemos fazer também”. As declarações foram feitas durante a assinatura da concessão da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), em Tanhaçu, sudoeste da Bahia, na manhã desta sexta-feira (3/9). Segundo o mandatário, os atos do Dia da Independência vão fazer as pessoas entenderem seus lugares. “Não criticamos forças e Poderes. Mas não podemos admitir uma ou duas pessoas querendo dar um outro rumo ao país. Essas uma ou duas pessoas têm que entender o seu lugar. Vocês, povo brasiliero nas ruas, darão o ultimato para essas pessoas”, disse. Ao final da cerimônia, Bolsonaro cumprimentou apoiadores que estavam do lado de fora do evento. O presidente não usou máscara, item obrigatório em mais de 300 municípios baianos. PUBLICIDADE Culpa dos governadores Bolsonaro ainda afirmou que “zerou impostos, mas a culpa é do ICMS, taxado pelo governador”. O presidente voltou a criticar a posição dos governos locais a respeito das medidas de contenção às contaminações pelo coronavírus e disse que as consequências foram o desemprego e a alta dos preços. “Muitos governadores, incluindo deste estado aqui, que prejudicaram o seu povo. Eles quem tiraram o emprego de vocês. A consequência de medidas ditatoriais como lockdown, confinamento, o famoso ‘fique em casa’. O mundo todo vive inflação nos alimentos, alguns países já têm escassez, mas aqui não faltou. Alguns preços aumentaram, como o do combustível. Mas isso acontece pelo ICMS do governador. O preço do gás de cozinha também. Eu zerei os impostos, mas a culpa é do governador”, disse o presidente.