Cova rasa: pai e filho presos por homicídio e ocultação de cadáver

Vítima foi encontrada enterrada em uma cova rasa na propriedade de um dos homens responsáveis pelo crime

Cova rasa: pai e filho presos por homicídio e ocultação de cadáver

Luiz Henrique Campos/ Estado de Minas* postado em 15/09/2021 15:57 (crédito: Crime foi registrado em Botumirim, no Norte de Minas Gerais (foto: Divulgação)) (crédito: Crime

  Dois homens, de 63 e 32 anos, foram presos nesta terça-feira (14/9), em ação conjunta das polícias Civil e Militar, por envolvimento em um crime de homicídio qualificado e ocultação de cadáver em Botumirim, no Norte de Minas. Os suspeitos são pai e filho. A vítima, um homem de 24 anos, foi encontrada enterrada em uma cova rasa na propriedade de um dos assassinos. De acordo com a Polícia Civil, as investigações do caso começaram depois que o pai da vítima procurou a delegacia de Grão Mongol, município vizinho a Botumirim, para notificar o desaparecimento. O sumiço já durava 15 dias até que o homem iniciou as buscas pelo filho. Sem sucesso, recorreu à ajuda das autoridades locais. Segundo o relato do pai, o rapaz se ausentou para trabalhar em uma plantação de café na zona rural. Além disso, ele informou à polícia que dois cachorros que também estavam desaparecidos foram encontrados mortos próximo da residência de um desafeto do filho. Buscas Após realizar buscas na região, a polícia localizou o corpo da vítima enterrado em uma cova rasa na propriedade de um dos suspeitos. O local estava coberto por alguns galhos. PUBLICIDADE Próximo à área, os policiais encontraram uma corda, uma pá e uma enxada que teriam sido usadas pelos investigados para ocultar o corpo. O cadáver, que já estava em estado avançado de decomposição, foi encaminhado ao Posto Médico Legal, em Montes Claros. Por sua vez, as investigações realizadas confirmaram a rixa entre os assassinos e a vítima. Ainda segundo a polícia, foi possível comprovar que os cachorros foram mortos para dificultar as buscas pelo corpo. Obstrução da investigação Os dois suspeitos tentaram retardar o andamento e a conclusão das investigações. Eles não compareceram na unidade policial para prestar esclarecimentos sobre os fatos que estavam sendo apurados pela PC. Por essa razão, o delegado Renato Luiz Pena ordenou a prisão temporária deles. Sendo assim, pai e filho foram conduzidos ao sistema prisional, onde se encontram à disposição da Justiça.