Jovens do sistema socioeducativo terão laboratório de robótica no DF

Jovens do sistema socioeducativo terão laboratório de robótica no DF

O laboratório de robótica da Unidade de Internação de Santa Maria será inaugurado nesta quinta-feira (1º/7). O espaço de 10 computadores vai atender jovens em conflito com a lei. Segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), serão oferecidas atividades pedagógicas, capacitações em desenhos 3D com softwares livres, manuseio de impressoras 3D, desenvolvimento em projeto 3D, programação para smartphones, iniciação ao Linux, conceitos de web design, introdução à realidade virtual e desenvolvimento de técnicas e cultura empreendedora através da robótica. O laboratório de robótica foi criado em uma parceria que envolve a Sejus, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e o Instituto Campus Party, por meio dos programas Passaporte para o Futuro e Include. PUBLICIDADE Mais sobre o assunto Distrito Federal No DF, adolescentes do sistema socioeducativo são aprovados no Enem Distrito Federal No DF, 50 mil EPIs são destinados a servidores do socioeducativo A secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani, disse que o principal objetivo do projeto é oferecer “mais uma oportunidade de acesso às tecnologias de informação, comunicação e desenvolvimento de soluções digitais”. “Todas as inciativas que permitem a quebra de um ciclo de violência são um avanço para toda sociedade, além de empoderar pessoas socialmente excluídas, por meio de capacitação em tecnologias. Isso é a prática da aplicação das políticas públicas que tanto trabalhamos para efetivar”, afirmou a secretária. Segundo o secretário de Cilência, Tecnologia e Inovação do DF, Gilvan Máximo, “o programa traz a oportunidade de inclusão e faz chegar a tecnologia e a inovação onde dificilmente chegaria”. O subsecretário do Sistema Socioeducativo, da Sejus, Demontiê Alves Batista Filho, disse que “é um avanço significativo ao sistema poder proporcionar aos adolescentes, em cumprimento de medida, o devido acesso à inclusão digital e poder prepará-los para uma nova chance de ressocialização, no mercado de trabalho”. Inicialmente, o laboratório de robótica receberá duas turmas com 15 adolescentes. As aulas ocorrerão às segundas e quintas-feiras. Os alunos foram inscritos a partir do interesse na área de tecnologia, idade e tempo de cumprimento da medida socioeducativa. Protocolo A Sejus informou que o laboratório terá regras para evitar a contaminação do novo coronavírus: “Entre as normas adotadas, estão o não compartilhamento de materiais eletrônicos e didáticos, higienização e limpeza dos ambientes e pessoal, uso de equipamento de proteção pelos profissionais e alunos, além da necessidade de aferição da temperatura.”